O poder do não e o seu dinheiro!

 

Quando um amigo ou familiar lhe pede dinheiro emprestado, essa pode ser uma situação delicada, pois fazer o empréstimo pode significar ajudar uma pessoa querida, mas em contrapartida, isso também pode acabar representando um problema para você uma vez que pode desestabilizar o seu orçamento.

Mesmo que você tenha o valor solicitado disponível, pode ser que você já tenha planos para essa quantia e não deseja se desfazer dela neste momento, ainda que saiba que vai receber o valor de volta posteriormente.

Um orçamento equilibrado e a independência financeira não são coisas fáceis de conseguir, e talvez neste caso, dizer não seja a melhor opção. Mas você pode fazer isso de uma forma com que a pessoa que lhe pediu o empréstimo não fique chateada ou magoada com você.

Neste artigo, vamos dar algumas dicas para que você saia dessa situação sem precisar emprestar o dinheiro e mesmo assim conseguindo ajudar essa pessoa querida. Confira.

O poder do não

Saber dizer não é importante

Existe um ditado que diz que “quando dizemos não a uma pessoa, estamos dizendo sim a nós mesmos”.

Quando alguém solicita a você uma quantia em dinheiro da qual você não pode ou não quer dispor, com isso é uma boa hora para se colocar esses dizeres em prática.

Se você tem essa quantia guardada é porque trabalhou e se esforçou para juntá-la e por mais que o desejo de ajudar a pessoa querida que lhe pedisse o empréstimo possa ser grande, talvez essa não seja a melhor decisão.

Você pode e deve se negar a realizar o empréstimo e não há motivo algum para que você se sinta mal por isso. E existem alternativas para fazer isso sem magoar a pessoa que você gosta.

Em primeiro lugar, você deve explicar para ela porque não pode emprestar esse valor em dinheiro, explicando que você já tem um planejamento financeiro a seguir e já existe um objetivo o qual você deseja alcançar usando esse valor.

Mas o fato de não poder ou não querer realizar o empréstimo, não significa que você não pode ajudar essa pessoa a conseguir o dinheiro que ela precisa. Você pode e deve fazer isso, mesmo sem emprestar a quantia solicitada.

O ideal nessa situação é dar dicas para que essa pessoa consiga obter o valor do qual ela precisa por conta própria.

Desta maneira, você não prejudica o seu orçamento, não precisa fazer o empréstimo e assim prejudicar a sua saúde financeira, mas mesmo assim vai poder ajudar alguém querido.

Para te ajudar com isso, separamos nos próximos tópicos algumas dicas valiosas que você pode dar para a pessoa que lhe solicitou o empréstimo para que ela consiga a quantia da qual precisa.

Além de ajudar nesse sentido, você ajuda também a pessoa a organizar melhor as suas contas, a ensina a planejar o seu orçamento, para que então ela alcance por si mesma sua própria independência financeira e não precise depender de mais ninguém para conseguir dinheiro.

Fale sobre independência financeira

Em primeiro lugar, tenha uma conversa com a pessoa que lhe pediu o empréstimo sobre independência financeira, explicando para ela o que esse conceito significa.

Talvez ela acredite que esse conceito tem a ver apenas com não depender de outra pessoa para pagar as suas contas, vivendo exclusivamente dos seus próprios rendimentos em dinheiro.

Isso não é uma ideia totalmente errada, mas o conceito de independência financeira de fato significa algo que vai um pouco, além disso.

Ser independente financeiramente, embora você possa acreditar que sim, não significa apenas que mais ninguém é responsável pelas suas contas além de você mesmo. Esta é apenas a primeira parte. E é isso que você deve conseguir fazer com que a pessoa que lhe pediu dinheiro emprestado entenda.

O conceito real de independência financeira é um pouco mais profundo que isso e significa na verdade, que você não seja dependente exclusivamente da renda que recebe em virtude do seu trabalho para sobreviver.

Em outras palavras, o conceito significa que a sua renda, levando em consideração o seu salário, bem como seus investimentos, deve ser superior ao que você gasta todos os meses.

Outra coisa confusão que também deve ser evitada é a de crer que ser independente financeiramente significa não precisar trabalhar ou se aposentar.

Não é disso que estamos falando, mas sim de ser livre para poder escolher trabalhar apenas com aquilo que você realmente gosta, sem viver sempre com medo de perder o emprego e isso significar sua falência financeira.

Ser independente financeiramente significa estruturar suas finanças em torno dos 3 pilares da segurança financeira. E compreender esses três conceitos é um grande passo para lidar melhor com o dinheiro.

Os três pilares que estão relacionados com a independência financeira são os seguintes:

  1. A segurança financeira básica, que é poder prover todas as despesas essenciais para uma vida confortável;
  2. A segurança financeira contra eventualidades, que significa ter uma reserva em dinheiro para cobrir imprevistos sem se endividar;
  3. A segurança financeira futura, que significa possuir fundos para manter o padrão de vida futuramente, quando você se aposentar;

Ao alcançar essas três situações é possível afirmar que alguém conseguiu conquistar a sua independência financeira.

Desta forma, se alguém lhe pedir dinheiro emprestado, essa é uma boa oportunidade de explicar sobre a independência financeira e desta forma, mesmo não realizando o empréstimo, você vai contribuir para que essa pessoa conquiste mais estabilidade em suas finanças.

Fale sobre investimentos

Além do fruto recebido pelo trabalho, os investimentos também são um ótimo meio de se conseguir dinheiro.

Talvez a pessoa que lhe solicitou o empréstimo, nunca tenha pensado na possibilidade de investir e uma conversa sobre o tema pode ser o suficiente para que ela abra seus horizontes e comece a trabalhar em cima dessa possibilidade.

É comum que as pessoas tenham a ideia de que investimentos estão associados à instabilidade e que por isso, eles não seriam uma boa ideia para conseguir o dinheiro que precisam para atingir seus objetivos. Entretanto, isso não é exatamente uma verdade.

Investimentos realmente contam com alguns riscos, mas basta saber escolher um investimento seguro. Investir é pensar no futuro e fazer investimentos da maneira adequada, significa não comprometer o presente ao fazer isso.

No tópico anterior dissemos que ser independente financeiramente é não depender exclusivamente do seu salário, lembra? Pois é. Os investimentos são desta maneira, a melhor forma de alcançar um patamar de independência financeira real.

É isso que a pessoa que lhe pediu alguma quantia em dinheiro emprestado precisa entender.

Procurar alternativas para incrementar a renda através de investimentos, inclusive, não é nenhum um luxo, principalmente se analisarmos o atual contexto de instabilidade e crise econômica.

Investir na verdade é uma necessidade para conquistar a independência financeira e ter alguma quantia em dinheiro disponível tanto para cobrir emergências quanto para viver uma aposentadoria mais tranquila.

Entretanto, investir não é um mar de rosas, e é preciso sabedoria, estudo sobre o tema e estratégia. Confira abaixo algumas dicas para investir com segurança que você pode compartilhar com quem lhe solicitou o empréstimo ou mesmo aplicar em sua própria vida:

  • Em primeiro lugar, você deve traçar as metas financeiras que deseja atingir através do investimento, ou seja, estabelecer quanto quer ganhar e em quanto tempo pretende fazer isso;
  • É necessário, antes de começar um investimento, se dedicar a estudar e adquirir conhecimento acerca da área. Se você é leigo, antes de começar, estude o assunto;
  • Não vai ser eficiente apostar em investimentos que foram indicados para você, mas que não sejam coerentes com suas convicções. É necessário que você acredite no investimento que está fazendo;
  • É necessário ter foco, uma vez que os melhores investimentos, que são mais rentáveis e mais seguros, são aqueles que dão resultados no longo prazo;

Além disso, outro fator que deve ser considerado na hora de começar a fazer investimentos e que, com toda a certeza, deve ser abordado durante a conversa com a pessoa que lhe pediu dinheiro emprestado é a gestão acerca dos riscos de cada tipo de investimento.

Correr risco, no mundo dos investimentos é algo que não é possível evitar. Nem na vida de forma geral, afinal de contas, ao dirigir, por exemplo, você se coloca em risco de sofrer um acidente, o que não significa que deixar de dirigir seja a melhor solução.

Neste caso, para diminuir a possibilidade de sofrer um acidente, você geralmente toma alguns cuidados enquanto dirige certo?

O mesmo vale para quando você for adentrar ao mundo dos investimentos. É necessário tomar alguns cuidados, fazendo uma gestão inteligente dos tipos de investimentos nos quais pretende apostar.

Investimentos implicam em alguns riscos, entretanto é possível tomar alguns cuidados para diminuir a chance de algo dar muito errado, fazendo com que o dinheiro investido acabe sendo perdido e a situação financeira fique ainda pior ao invés de melhorar.

A gestão de riscos de investimentos, desta forma, é realizada considerando os seguintes fatores de risco envolvidos nos investimentos:

  • Risco do Ativo

Para diminuir os riscos do ativo, uma boa solução é diversificar seus investimentos, não se tonando dependente exclusivamente de um ativo.

  • Risco de Mercado

A globalização da economia cada vez mais crescente faz com que todos os tipos de investimento estejam sujeitos a oscilações do mercado. Esteja atento a essas situações para proteger seu investimento, evitando assim perder dinheiro e piorar a sua situação financeira.

  • Risco de Liquidez

Quanto maior o valor do ativo, mais difícil fazer com que ele se torne dinheiro vivo. Imóveis por exemplo, podem ter um valor elevado, mas é preciso que alguém os compre, para serem convertidos em dinheiro.

Hoje em dia, dá para contar com a ajuda da tecnologia na hora de fazer investimentos. Aplicativos como o Renda Fixa, ajudam todos que querem começar nesse mundo a organizar sua carteira e escolher as melhores formas de investir.

Fale sobre como evitar o endividamento é importante

Fugir das dívidas é uma das principais estratégias para conseguir uma vida financeira saudável e garantir a estabilidade das contas da casa.

Se alguém lhe pediu dinheiro emprestado, essa é uma boa oportunidade para falar sobre essa questão.

Não tem jeito, liquidar o saldo devedor e depois disso, conseguir manter suas em dia é mais um passo muito importante para que qualquer pessoa consiga alcançar de fato um patamar de estabilidade financeira.

Para ajudar você no momento de conversar e ajudar a pessoa que lhe solicitou um empréstimo de dinheiro que o ideal para ela é escapar das dívidas e manter as suas contas no azul, trouxemos para você 8 dicas práticas e fáceis de executar. Confira abaixo e compartilhe com essa pessoa o que ela deve fazer:

PRIMEIRA DICA – SABER EXATAMENTE O MONTANTE EM DINHEIRO QUE ESTÁ DEVENDO

Não vai ser possível se organizar para quitar tudo que está devendo, sem ter uma noção exata do valor em dinheiro que está devendo, por isso, o primeiro passo é descobrir isso.

Nesse momento é a hora em que se deve sentar com calma e usar uma planilha para descobrir o valor exato das dívidas e então é será hora de pensar no que fazer para paga-las.

SEGUNDA DICA – EVITAR FAZER EMPRÉSTIMOS PARA QUITAR AS DÍVIDAS, O IDEAL É TENTAR NEGOCIÁ-LAS.

Depois de analisar o valor total em dinheiro do montante das dívidas é hora de pensar qual a melhor forma de tirar o orçamento do vermelho e pagar todas elas.

Se nesse momento acabar percebendo que esse valor é alto demais e que não tem tudo isso em dinheiro disponível é que a ideia de conseguir um empréstimo vem na cabeça da maioria das pessoas.

Entretanto, antes de fazer isso, o ideal é apostar na tentativa de renegociar as dívidas. É importante lembra que fazer um empréstimo é se endividar novamente e não é uma boa opção para quem deseja sair do vermelho, certo?

Negociar com seus credores, pode garantir bons descontos no pagamento do valor devido é o ideal é fazer isso antes de pensar em recorrer a qualquer tipo de empréstimo em dinheiro.

TERCEIRA DICA – ESTABELECER METAS PARA O PAGAMENTO DAS DÍVIDAS

Para atingir qualquer objetivo, traçar metas realistas é importante. E para escapar das dívidas não é muito diferente. Traçar metas vai ajudar bastante nesse momento.

O ideal é pensar em quanto tempo a pessoa quer ver suas dívidas quitadas, quanto em dinheiro ela tem disponível para isso e o que fazer para conseguir o valor restante sem se endividar ainda mais, para isso.

QUARTA DICA – DEFINIR QUAIS AS DÍVIDAS QUE DEVEM SER PAGAS COM PRIORIDADE

No caso de as dívidas tendo se acumulado demais e encontrar uma solução para o problema pareça algo cada vez mais distante, perder a calma não vai ajudar. Esse é o momento de agir com planejamento e estratégia.

Sair dessa situação é possível, mas para isso, manter a calma é muito importante. Caso você descubra que a pessoa que lhe pediu dinheiro emprestado tem muitas contas acumuladas é necessário decidir quais delas devem ser pagas primeiro para sair do vermelho.

Aquelas contas mais antigas, sobre as quais os juros já estão correndo há mais tempo devem ter prioridade, pois elas são responsáveis pela maior parte do endividamento.

Por sua vez, as contas de despesas básicas, como água, luz, telefone, internet, entre outras, não devem ser atrasadas de forma alguma, já que dizem respeito a uma questão de sobrevivência.

QUINTA DICA – MANTER OS GASTOS SOB CONTROLE É FUNDAMENTAL

Manter o controle acerca dos seus gastos é fundamental para garantir estabilidade financeira e também é uma das melhores estratégias para escapar das dívidas de uma vez por todas.

Se a pessoa não possuir sequer uma noção do valor exato dos seus gastos fixos ou do seu saldo em conta, fica difícil manter todo o orçamento em dia.

É dessa forma que as pessoas acabam se endividando, porque elas não sabem muito bem de onde vem e para onde está indo o dinheiro delas.

SEXTA DICA – PLANEJAR ANTES DE COMPRAR

Planejamento é uma das estratégias mais inteligentes para conquistar e manter uma vida financeira saudável e também, é claro, para ficar bem longe das dívidas.

Antes de comprar alguma coisa, qualquer coisa que seja o ideal é fazer uma pesquisa de preços, planejar, conferir se a compra cabe no orçamento naquele momento e sempre que possível, fazer o pagamento da compra usando dinheiro.

SÉTIMA DICA – PENSAR EM COMO FAZER PARA QUITAR AS DÍVIDAS

Para sair do vermelho, vai ser necessário pensar em estratégias eficientes para o pagamento das dívidas.

Negociar, como já dissemos é mais inteligente que fazer um empréstimo e então continuar endividado indefinidamente.

Pagar o mínimo da fatura do cartão de crédito também é algo deve ser evitado, uma vez que a taxa de juros do sistema rotativo de financiamento é muito alta, e a dívida vai crescer ainda mais.

OITAVA DICA – EVITAR AS COMPRAS ATRAVÉS DE PARCELAMENTOS

Comprar parcelado pode te dar a impressão de a pessoa está gastando menos dinheiro, quando na verdade, ela está, na grande maioria das vezes, pagando bem mais pelo menos produto do que se comprasse a vista em função da incidência dos juros.

Por isso, o melhor a se fazer para manter as contas no azul é evitar as compras parceladas sempre que possível optando pelo pagamento á vista.

Fale sobre planejamento financeiro

A maioria das pessoas não reconhece a importância de ter um planejamento financeiro estruturado. Quando alguém lhe pede uma quantia em dinheiro emprestado, pode ser um bom momento para falar sobre isso.

Conquistar uma vida financeira saudável e ver as contas sempre no azul, alcançando os 3 pilares da independência financeira só é possível através de um bom planejamento das finanças, para evitar problemas em relação as suas contas tanto no presente quanto no futuro.

Quando se fala em planejamento financeiro é possível que as pessoas se assustem, pensem que serão necessários conhecimentos em economia e de gestão financeira para conseguir elaborar algo do tipo.

Mas na verdade, a partir de estratégias muito simples, já é possível realizar um bom planejamento financeiro, basta um pouco de paciência e de estratégia.

Para que você ajude a pessoa que te pediu o empréstimo, elaboramos algumas dicas de como realizar um planejamento financeiro estruturado para as contas da casa, assim manter as contas no azul e alcançar uma vida financeira saudável e equilibrada.

Confira a lista abaixo e compartilhe as dicas, que você pode e deve seguir para ajustar o seu orçamento também, se for necessário:

  • Conte com todos

É muito importante para que o planejamento financeiro das finanças da família seja realizado com a participação ativa de todos os seus membros da mesma, para que todos entendam a realidade financeira da casa e possam contribuir para a manutenção de sua estabilidade;

  • Tenha um mapeamento detalhado de todas as suas fontes de renda

O primeiro passo de um planejamento financeiro bem estruturado é realizar um mapeamento de todas as suas fontes de renda, para que você saiba exatamente quanto de dinheiro você tem disponível para organizar o seu orçamento.

Use uma planilha para anotar todos os ganhos e rendimentos que você tem e saiba exatamente qual é o valor exato de sua renda mensal.

  • Tenha um mapeamento detalhado de todas as suas despesas

Além de mapear todos os seus rendimentos, faz parte do seu planejamento financeiro, saber exatamente quais são os seus gastos mensais. Você precisa saber como exatamente tem gasto o seu dinheiro, por isso, não deixe nenhuma despesa de fora, por mais insignificante que pareça;

  • Observe e reflita sobre o resultado

Depois de mapear receitas e despesas, cruze os dados para entender exatamente qual é a realidade atual da sua vida financeira.

  • Ajuste o necessário

Essa é a parte prática do seu planejamento financeiro. Agora que você já sabe a sua realidade financeira, vai poder traçar as melhores estratégias para melhorá-la, cortando os gastos desnecessários e quitando as dívidas, se for o caso.

No artigo de hoje você entendeu porque é importante dizer não caso alguém lhe solicite um empréstimo e aprendeu também sobre o que conversar com essa pessoa para que ela alcance a própria independência financeira e não precise mais fazer dívidas.

Se você gostou dessas dicas, continue acompanhando o nosso conteúdo!

Artigos que podem ser úteis para você: 10 Dicas para Não Fazer Dívidas | Renda Fixa X Renda Variável: Qual a diferença?

 

Compartilhe este conteúdo

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter

Sobre Nós

A maior plataforma de investimentos do país. Encontre os melhores investimentos de acordo com seus objetivos gratuitamente.

Post Relacionados

organizando as finanças

Dicas infalíveis para se controlar melhor A fórmula de uma vida financeira

sucesso-financeiro

A sorte aqui não tem vez ! Alcançar o sucesso financeiro e

80/20

Conheça o método para controle de finanças. Se você investe seu dinheiro,

Seguir

Mais Assisitidos

Fechar Menu
Abrir Chat
Olá, tudo bem? Me chamo Rafael e sou economista, como posso te ajudar?
Powered by