Como investir com a Selic em queda?

A Renda Fixa morreu?

Vimos em 2017 a Selic sair dos dois dígitos e alcançar o patamar de 5% ao ano. E o ano de 2019 começou com mais uma queda, atingindo o nível atual de 4,9% ao ano, decidido na última reunião do COPOM (Comitê de Política Monetária), realizada  em novembro deste ano.

Você já cansou de ouvir por aí que, mesmo com a queda da Selic, os juros reais continuam altos. Mas, por que isso acontece? A melhor forma de entender as constantes mudanças na taxa básica de juros é entender a sistemática do cenário econômico.

Basicamente, a Selic é uma das principais formas utilizada pelo governo para controlar a inflação. Ela consiste no aumento generalizado dos preços de produtos e serviços. No Brasil, o índice utilizado para medir a inflação oficial é o IPCA (índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), que leva em consideração uma cesta de produtos e serviços. Este índice abrange também as famílias com renda mensal de 1 (um) até 40 (quarenta) salários mínimos.

 Como funciona a inflação?

Quando a inflação está alta, a tendência é que o governo ajuste a taxa Selic  aumentando-a de forma que diminua a oferta de crédito para frear o consumo. Consequentemente, desacelerar o aumento de preços.  Já quando a inflação está em queda, a tendência é que a Selic seja ajustada para baixo. É exatamente este o cenário que estamos vivendo atualmente, mas isso não quer dizer que os investimentos de renda fixa deixaram de ser interessantes.

A reclamação de muitos investidores é que a rentabilidade nominal dos títulos de renda fixa sofreram uma queda brusca. Se compararmos com 2015, por exemplo, em que a Selic chegou a 14,25% ao ano. Mas, um ponto que muitas pessoas não se atentam é que a inflação daquele período estava muito alta em comparação com os valores atuais. Para se ter uma ideia, o ano de 2015 encerrou com o IPCA acumulado em 10,67% ao ano, enquanto que 2017 o acumulado foi de apenas 2,95%.

Além disso, para saber a rentabilidade real de um investimento, é necessário descontar a inflação dos juros que serão pagos sobre o capital investido. Portanto não é apenas olhar a rentabilidade nominal do investimento. Analisando friamente os números, por exemplo, é possível constatar que, atualmente, os juros reais estão mais altos do que em períodos em que a Selic estava bem alta. Por tudo que foi explicado, não há motivo para pânico.

Desdobramento do cenário econômico

Independente do cenário econômico, um passo muito importante para investir com consciência é saber qual é o seu perfil de investidor. Este teste vai identificar, entre outras coisas, qual é o seu nível de tolerância ao risco. De nada adianta alocar uma parte do seu capital em investimentos de renda variável se você não tem perfil para isso.

Em segundo lugar, para quem pretende manter seus investimentos alocados em renda fixa, é importante consultar e comparar a rentabilidade oferecida pelas instituições. Algo que o App Renda Fixa pode te ajudar. Entre corretoras, bancos e financeiras, são mais de 20 instituições com títulos listados na plataforma. Como resultado, o App conta com mais de 500 mil downloads, o aplicativo tem hoje cerca de 100 mil usuários ativos por mês, com ticket médio de R$ 40 mil.

Desta forma, espero que esse artigo tenha te ajudado a esclarecer sobre a queda da Selic. Ficou com alguma dúvida? Quer sugerir algum tema pra gente falar aqui no blog? Comente aqui embaixo que a gente responder o mais rápido possível! Abração =)

 

Compartilhe este conteúdo

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter

Sobre Nós

A maior plataforma de investimentos do país. Encontre os melhores investimentos de acordo com seus objetivos gratuitamente.

Post Relacionados

Volatilidade nas alturas! Quem investe no mercado de ações, já se deparou

Antes de tudo, você sabe como funcionam os derivativos? Eles são contratos

ativos reais judiciais

Aprenda antes que seja tarde! A teoria moderna da construção de carteiras

Seguir

Mais Assisitidos

Fechar Menu
Abrir Chat
Olá, tudo bem? Me chamo Rafael e sou economista, como posso te ajudar?
Powered by