Diferença de Prefixado x Pós-fixado

 

Os investimentos de renda fixa têm esse nome porque as condições de rentabilidade são conhecidas no momento da aplicação, mas isso não significa que, necessariamente, você saberá o valor que irá receber no final da aplicação. Você deve estar confuso ou confusa, mas isso acontece porque existem dois tipos de títulos de renda fixa: os prefixados e os pós fixados, e vou explicar cada um deles para você conseguir entender.

 

Títulos prefixados

 

Um título é prefixado quanto, no momento da aplicação, você já sabe exatamente a taxa de juros que vai receber e, consequentemente, já sabe o quanto irá resgatar no final da aplicação.

Se você investe 1.000 reais num título com vencimento em 361 dias, com uma taxa de 10% ao ano, você sabe que daqui 1 ano vai resgatar 1.100 reais menos os impostos que vão incidir sobre a rentabilidade, que no caso foi de 90 reais.

Para quem não lembra, os impostos incidentes são:

  • Imposto de renda: até 180 dias, 22,5%; de 181 a 360 dias, 20%; de 361 a 720 dias, 17,5%; acima de 720 dias, 15%.
  • IOF (Imposto sobre Operações Financeiras), para resgate antes de 30 dias que a aplicação foi realizada, que varia de 97% no primeiro dia de investimento a 3% no 29º dia de investimento.

 

Títulos pós-fixados

 

Já os títulos pós-fixados são aqueles cuja remuneração é atrelada a um índice, como a taxa DI (que segue a Selic) ou mesmo a própria Selic, que é o caso do Tesouro Selic. Para se ter uma ideia de como essas taxas andam lado a lado, no dia que escrevo esse artigo a taxa Selic diária está em 8,15%, enquanto a taxa DI está em 8.14% ao ano. Esse tipo de título também pode ser atrelado a inflação (IPCA ou IGPM) somada a uma taxa de juros prefixada. São os famosos títulos IPCA+, oferecidos inclusive pelo programa do Tesouro Direto. Por mais que o título tenha parte da rentabilidade prefixada, esse título é considerado pós-fixado, já que não há como saber a inflação do período do investimento.

Se você comprar hoje um CDB que remunera 110% da taxa DI, seu título será remunerado até o vencimento pelos mesmos 110% da DI, independentemente do valor que a DI esteja. Com a DI no dia em que escrevo esse artigo em 8,14% ao ano, um título que paga 110% da DI equivale a uma rentabilidade de 8,95% ao ano. Como eu fiz esse cálculo?

calculo

Essa taxa ao ano é transformada numa taxa ao dia, que é divulgada diariamente pela CETIP, e é utilizada pelo seu banco ou corretora para remunerar o seu título atrelado a DI todos os dias úteis. Por exemplo, no dia 11/09/2017 a DI fechou em 8,14% ao ano. O quadro ao lado mostra a taxa ao dia equivalente a taxa ao ano.

di

Fonte: CETIP

Mas como esse cálculo foi feito? Aplicando a fórmula a seguir:

taxa

Aplicando essa fórmula, encontramos o mesmo número divulgado pela CETIP, que foi de 1,00031059. Por exemplo, para saber a rentabilidade do dia 11/09/2017 de um título que remunera 100% da taxa DI, basta multiplicar o valor investido pelo número divulgado pela CETIP.

Espero que tenham gostado do artigo! Dúvidas ou sugestões, comentem aqui embaixo!

 

 

Compartilhe este conteúdo

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter

Sobre Nós

A maior plataforma de investimentos do país. Encontre os melhores investimentos de acordo com seus objetivos gratuitamente.

Post Relacionados

segurança

É possível ter rentabilidade e segurança no seu investimento! Ao contrário do

7 ações que não cobram

Você já imaginou como seria se pudesse operar com ações , fazer

Você está realmente seguro? A renda fixa e o FGC têm um

Seguir

Mais Assisitidos

Fechar Menu
Abrir Chat
Olá, tudo bem? Me chamo Rafael e sou economista, como posso te ajudar?
Powered by