Fundos Cambiais: Entenda tudo sobre esse tipo de investimento

 

Para aqueles que seguiram o noticiário de 2018, ou possuem certa familiaridade com o mercado financeiro e com os mais diversos tipos de investimentos disponíveis pelas instituições financeiras, é muito provável que, em determinado momento, já tenham escutado que os fundos cambiais foram um dos melhores investimentos até meados de 2018.

Com a alta do dólar frente ao real devido principalmente a elevação da taxa de juros americanos, os fundos cambiais ganharam grande destaque depois de algum tempo de ostracismo.

Entretanto, é comum que grande parte dos brasileiros ainda tenha certa incompreensão e restrição a respeito desse meio de aplicação e, por conta disso, explicar detalhadamente o que é, como funciona, além das vantagens e desvantagens desse tipo de investimentos se faz necessário.

Fundos Cambiais: Entenda tudo sobre esse tipo de investimento

O que é Fundo Cambial?

O fundo cambial é um tipo de fundo de investimento que acompanha a variação ou oscilação da moeda estrangeira, principalmente dólar ou euro. De modo geral, o fundo cambial faz aplicações em dólar ou euro e de acordo com o comportamento da moeda pode aferir lucros, assim como prejuízos em real (R$).

Para quem não lembra ou mesmo não sabe, os fundos de investimento são um tipo de aplicação que reúne o capital de uma série de investidores – chamados de cotistas – com o objetivo de obter um retorno através da alocação destes recursos em uma cesta de ativos financeiros. Estes ativos podem ser de maior ou menor risco.

O investidor, portanto, beneficia-se da apreciação ou disparada da moeda estrangeira e sofre perdas de rentabilidade quando há depreciação dessa moeda É importante entender que apreciação é quando a moeda estrangeira se valorizou frente ao real, ou seja, antes eu precisava de R$ 2 para comprar US$ 1, agora eu preciso de R$ 3 para comprar a mesma quantidade de dólar, depreciação é o efeito contrário.

Os fundos cambiais investem necessariamente em ativos como derivativos ou títulos relacionados à variação de preços de uma determinada moeda estrangeira ou em taxas de juros, o chamado cupom cambial. Devem investir no mínimo 80% de sua carteira em ativos que busquem a variação de uma moeda estrangeira. Os fundos que seguem a variação do dólar são os mais tradicionais.

Caso o fundo opte por não aplicar a totalidade do patrimônio líquido, o montante não aplicado em ativos relacionados à variação da moeda poderá ser aplicado em títulos e operações de renda fixa em até no máximo de 20% da carteira, sendo possível utilizar-se de derivativos somente para fazer proteção (hedge), não é permitido a alavancagem para esses fundos. Vale lembrar que se um fundo tem como benchmark a variação do dólar, ele não necessariamente acompanha a cotação do dólar.

É importante ter em mente que tanto o aporte quanto o resgate do capital aplicado são feitos em nossa moeda local, ou seja, em real.

Para quem é recomendado?

Esse tipo de aplicação é recomendado para investidores que tenham perfil de risco a partir de moderado como um meio de diversificação do portfólio de investimentos de uma carteira.

De acordo com o objetivo, esse tipo de fundo é muito indicado para pessoas que preveem despesas no exterior, como um intercâmbio, cursos ou uma viagem a lazer com a família, por exemplo, haja vista que este tipo de aplicação tende a preservar o poder de compra em moeda estrangeiras ao longo do tempo.

Também são ótimos para quem tem dívidas em moedas estrangeiras, ou qualquer outro tipo de obrigação de longo prazo no exterior, como por exemplo, empresas importadoras, pessoas que mandam dinheiro para a família no exterior.

Existe ainda o objetivo especulativo, serve para investidores muito agressivos que apostam na apreciação do dólar. Não é uma atitude recomendável, é preferível utilizar esse tipo de fundo como uma forma de proteção (segurança), no caso de surgir a necessidade de se utilizar grandes montantes em moedas estrangeiras.

Riscos

Fundos Cambiais: Entenda tudo sobre esse tipo de investimento

Fundos cambiais costumam ser classificados como moderados, arrojados ou agressivos. Eles estão basicamente sujeitos ao risco de flutuação da moeda estrangeira de referência em relação ao real.

É importante ressaltar que o câmbio é um dos indicadores econômicos mais difíceis de prever. Investir em fundos cambiais para lucrar com a apreciação da moeda é uma atividade de alto risco.

Também existe o risco do ativo em que o fundo está investindo, por exemplo, títulos da dívida americana são os de mais baixo risco no mercado, porém, o fundo pode investir em derivativos o que o torna mais arriscado. Atente-se a estratégia adotada pelo fundo antes de aplicar.

Quais taxas são cobradas?

São duas as taxas que podem ser cobradas em um fundo cambial:

  • Taxa de performance: É uma taxa que é cobrada apenas se a rentabilidade do fundo ultrapassar o indicador de referência, que pode ser o CDI, Índice Bovespa, variação do dólar, entre outros. Nem todos os fundos possuem esta taxa.
  • Taxa de administração: As estratégias dos fundos de investimentos são adotadas por um profissional capacitado e com toda experiência necessária para fazer a gestão dos recursos alocados. Todo este trabalho leva tempo e, consequentemente, tem um custo, que é repassado para os cotistas através da taxa de administração do fundo.

Tributação

Os fundos cambiais, assim como a maioria dos fundos de investimento, possuem incidência de Imposto de Renda (IR), que normalmente é cobrado de maneira regressiva e sempre sobre a rentabilidade, da seguinte maneira:

  • Até 180 dias de investimento, 22,5% da rentabilidade;
  • De 181 a 360 dias, 20% da rentabilidade;
  • De 361 a 720 dias, 17,5% da rentabilidade;
  • Acima de 720 dias, 15% da rentabilidade.

Para quem fica no fundo por um prazo inferior a 30 dias, há cobrança de IOF (Imposto sobre operações financeiras), sobre o rendimento da aplicação. O IOF varia de 96% no primeiro dia a 3% no 29º dia.

Vantagens de se investir em um fundo cambial

Fundos Cambiais: Entenda tudo sobre esse tipo de investimento

  • Segurança em moeda estrangeira;
  • Capital sendo gerido por um gestor qualificado;
  • Diversificação dos investimentos;
  • Alta rentabilidade se houver apreciação da moeda estrangeira.

Desvantagens

Fundos Cambiais: Entenda tudo sobre esse tipo de investimento

  • Exposição a flutuações do câmbio;
  • Prejuízos se houver depreciação da moeda estrangeira;
  • Taxa de administração;

Espero que esse artigo tenha ajudado a entender o que são os fundos cambiais e como eles podem te ajudar dependendo de seu objetivo. Restou alguma dúvida? Quer sugerir algum tema para a gente falar aqui no blog? Comente aqui embaixo que iremos responder o mais rápido possível!

 

Compartilhe este conteúdo

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter

Sobre Nós

A maior plataforma de investimentos do país. Encontre os melhores investimentos de acordo com seus objetivos gratuitamente.

Post Relacionados

tributação

Tudo o que você precisa saber! Independente da sua área de atuação

calculadora

Quem quer ser um milionário? Ficar milionário é o sonho de muita

analise de candles

Descubras as figuras de um candle na análise técnica Ter acesso acesso

Seguir

Mais Assisitidos

Fechar Menu
Abrir Chat
Olá, tudo bem? Me chamo Rafael e sou economista, como posso te ajudar?
Powered by