5 Investimentos de CURTO PRAZO. A 4ª vai te surpreender!

Conheça quais investimentos são os mais indicados!

Escolher um investimento, pode não ser uma tarefa fácil, se está começando. Pensando nisso, o App Renda fixa separou 5 investimentos para o curto prazo. Vale lembrar, que o horizonte de tempo para este investimento é de 0 a 2 anos.

Caso o prazo seja de 2 a 5 anos, estamos falando de médio prazo. E para este horizonte de tempo já fizemos um artigo. é só clicar aqui.

Definindo o objetivo.

Investimentos de curto prazo são aqueles cujo retorno será obtido em até dois anos – assim como o seu resgate.

Desta forma, é indicado que o investidor escolha investimentos mais conservadores – como a renda fixa, por exemplo, para compor sua carteira de investimentos.

Em segundo lugar, um planejamento correto, alinhando os objetivos pessoais com os investimentos, permitirá ao investidor escolher as melhores opções de investimentos de curto prazo.

Para reserva de emergência, é mandatório que o investimento tenha liquidez diária. Como resultado, caso aconteça alguma emergência, será possível resgatar o valor a qualquer momento, dentro do horário disponibilizado pela sua corretora.

Opções para investir no curto prazo

Existem diversas opções de investimentos de curto prazo, ideais para quem planeja um resgate em até dois anos. Entre eles, podemos citar  o Tesouro Selic, os Certificados de Depósito Bancário (CDBs) com liquidez diária, Fundos DI e Fundos de Renda Fixa atrelados ao CDI, entre outros.

Tesouro Selic

Também conhecido como LTF – Letras Financeiras do Tesouro, este é um investimento conservador, onde a remuneração está associada à taxa Selic.

Desta forma, este investimento está dentro da categoria dos pós-fixados. Isso porque, a taxa Selic é alterada a cada 45 dias pelo COPOM (Comitê de Política Monetária).

Assim como os demais investimentos em renda fixa, o tesouro selic também possui desconto, na hora do resgate, no Imposto de Renda.

CDB – Certificados de Depósitos Bancários e LC – Letras de Câmbio

Os CDBs também são uma boa escolha para quem quer fazer investimentos seguros no curto prazo. Isso porque, estes títulos rendem bem mais do que a poupança e são garantidos pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC) até o limite de R$ 250 mil por CPF e por conglomerado financeiro.

Acima de tudo, é importante tem CDBs de bancos que paguem mais de 100% do CDI (Certificado de Depósito Interbancário). Pois, se o ativo tiver taxa inferior a esta, vale a pena o tesouro Selic que já te garante 100% do CDI

Além disso, também é possível optar pelas LC (Letra de Câmbio). Elas são emitidas por financeiras e, por isso, possuem maiores rentabilidades.

Desta forma, elas competem no mercado com os bancos que já são consolidados e, por isso, precisam tem uma taxa mais atrativa para os investidores.

Fundos DI

Os Fundos DI são investimentos atrelados ao CDI e à taxa Selic (taxa básica de juros da economia brasileira) e, portanto, são pós-fixados. É importante que a taxa de administração dos fundos não ultrapasse 0,5% ao ano para que esse tipo de título seja realmente rentável.

Vale destacar que o investidor precisa procurar, ainda, fundos que ofereçam uma remuneração superior a 100% do CDI.

Além disso, é  interessante que o investidor saiba que os Fundos DI não têm garantia de rentabilidade. Por isso, saber quanto o banco vai pagar sobre o CDI, e estar sempre atento à rentabilidade é fundamental.

A grande vantagem dos fundos DI é a liquidez imediata, já que o investidor pode fazer o resgate a qualquer momento e ter o capital à disposição para qualquer necessidade – ideal para investimentos de curto prazo.

Fundos de renda fixa atrelados ao CDI

Os Fundos de renda fixa atrelados ao CDI acompanham o CDI e a taxa Selic e, portanto, também são pós-fixados. Assim como os fundos DI, o ideal é que a taxa de administração não ultrapasse 1% ao ano e que o fundo remunere o investidor sempre acima de 100% do CDI.

É possível encontrar fundos de renda fixa com carência de 15, 20 ou 30 dias, por exemplo. Isso permite com que esses fundos apliquem seus recursos em títulos menos líquidos e tentem obter melhores taxas de retorno para o investidor.

Por conta disso, os Fundos de Renda Fixa podem ser úteis para quem esteja procurando investimentos de curto prazo, desde que o investidor se mantenha atento à liquidez para o resgate.

Conclusão

Independente da escolha do investidor, é importante que o investidor saiba que existe bons produtos de renda fixa disponíveis para composição de carteira de curto prazo.

Ao contrário do que muita gente ainda acredita, existem boas opções de investimentos de curto prazo, que rendem mais que a poupança e também oferecem segurança ao investidor.

E você, possui investimentos no curto prazo? Onde você costuma aplicar seu dinheiro para no curto prazo?

Bons investimentos e até a próxima!!

Compartilhe este conteúdo

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter

Sobre Nós

A maior plataforma de investimentos do país. Encontre os melhores investimentos de acordo com seus objetivos gratuitamente.

Post Relacionados

ações bear market

Qual setor mais afetado? O Índice Bovespa,  também conhecido como Ibovespa, é considerado um dos

A taxa selic meta é definida pelo COPOM

Quais as diferenças entre TAXA META SELIC, SELIC E CDI? No mundo

research: Casa de análise vale a pena

Casas de análises são confiáveis? Durante muitos anos os investimentos ficaram restritos

Seguir

Mais Assisitidos

Fechar Menu
Abrir Chat
Olá, tudo bem? Me chamo Rafael e sou economista, como posso te ajudar?
Powered by