O que são os Fundos Multimercados

 

A corrida por investimentos com rentabilidade acima da média do mercado tem se intensificado neste período de baixa da Selic, que começou em meados de 2017. Os investidores de aplicações de renda fixa que estão insatisfeitos com a atual taxa de juros têm buscado algumas alternativas para conseguir um retorno um pouco mais alto, como:

  • Abrir mão da liquidez, deixando o dinheiro aplicado por um período de tempo maior;
  • Sair, pelo menos de forma parcial, do universo da renda fixa e buscar investimentos de maior risco.

Na atual busca por investimentos com potencial de retorno superior, os fundos multimercados têm sido uma alternativa muito cogitada. No entanto, poucos investidores sabem como realmente funciona esta aplicação. Para ajudar você leitor a entender mais sobre fundos multimercados, preparamos este material com as respostas das principais dúvidas sobre fundos multimercados. Para facilitar, o artigo está dividido nos seguintes tópicos:

  1. O que são fundos multimercados?
  2. Todos os fundos multimercados são iguais?
  3. O que é Alavancagem
  4. Quais taxas são cobradas?
  5. Tem impostos?

O que são fundos multimercados?

Os fundos multimercados unem estratégias de investimentos em ativos de renda fixa e de renda variável. Os fundos de renda fixa alocam os recursos majoritariamente em títulos públicos e privados, enquanto os de renda variável alocam a maior parte dos recursos em ativos de mesmo nome. Por sua vez, os multimercados mesclam ambas estratégias, ao alocar os recursos em ativos tanto de renda fixa quanto de renda variável.

Para quem não lembra ou mesmo não sabe, os fundos de investimento são um tipo de aplicação que reúne o capital de uma série de investidores – chamados de cotistas – com o objetivo de obter um retorno através da alocação destes recursos em uma cesta de ativos financeiros. Estes ativos podem ser de maior ou menor risco.

Como cada fundo investe em diferentes tipos de ativos, a CVM (Comissão de Valores Mobiliários) resolveu dividi-los de acordo com a composição da carteira. Segundo a Instrução Normativa 555, os fundos de investimentos são divididos em quatro categorias distintas:

  • Fundo de renda fixa;
  • Fundo de ações;
  • Fundo multimercado; e
  • Fundo Cambial.

Todos os fundos multimercados são iguais?

Os fundos multimercados se destacam pela diversidade de ativos que você pode encontrar em um mesmo fundo. Enquanto alguns multimercados dão preferência a ativos de menor risco na composição de sua carteira, outros preferem arriscar um pouco mais para obter melhores retornos.

Dessa forma, nem todo fundo multimercado é igual. Por esse motivo é muito importante olhar a lâmina do fundo para ter uma ideia de como os recursos serão aplicados.

Devido essa diversidade de fundos multimercados existentes, a ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais) elaborou uma classificação a fim de facilitar a vida de quem pretende investir. Os fundos multimercados podem ser divididos em:

  • Balanceados

Segundo a ANBIMA:

“Buscam retorno no longo prazo por meio da compra de diversas classes de ativos, incluindo cotas de fundos. Estes fundos possuem estratégia de alocação pré-determinada devendo especificar o mix de investimentos nas diversas classes de ativos, incluindo deslocamentos táticos e/ou políticas de rebalanceamento explícitas. O indicador de desempenho do fundo deverá acompanhar o mix de investimentos explicitado (asset allocation benchmark), não podendo, assim, ser comparado a uma única classe de ativos (por ex, 100% CDI). Os fundos nesta subcategoria não podem possuir exposição financeira superior a 100% do PL. Não admitem alavancagem”.

  • Dinâmicos

Segundo a ANBIMA:

“Buscam retorno no longo prazo por meio de investimento em diversas classes de ativos, incluindo cotas de fundos. Estes fundos possuem uma estratégia de asset allocation sem, contudo, estarem comprometidos com um mix pré-determinado de ativos. A política de alocação é flexível, reagindo às condições de mercado e ao horizonte de investimento. É permitida a aquisição de cotas de fundos que possuam exposição financeira superior a 100% do seu respectivo PL. Admitem alavancagem”.

  • Macro

Segundo a ANBIMA:

“Fundos que realizam operações em diversas classes de ativos (renda fixa, renda variável, câmbio etc), com estratégias de investimento baseadas em cenários macroeconômicos de médio e longo prazos”.

  • Trading

Segundo a ANBIMA:

“Fundos que realizam operações em diversas classes de ativos (renda fixa, renda variável, câmbio etc.), explorando oportunidades de ganhos a partir de movimentos de curto prazo nos preços dos ativos”.

  • Long and Short Direcional

Segundo a ANBIMA:

“Fundos que fazem operações de ativos e derivativos ligados ao mercado de renda variável, montando posições compradas e vendidas. O resultado deve ser proveniente, preponderantemente, da diferença entre essas posições. Os recursos remanescentes em caixa devem estar investidos em cotas de fundos Renda Fixa – Duração Baixa – Grau de Investimento ou em ativos permitidos a estes desde que preservadas as regras que determinam a composição da carteira do tipo ANBIMA”.

  • Long and Short Neutro

Segundo a ANBIMA:

“Fundos que fazem operações de ativos e derivativos ligados ao mercado de renda variável, montando posições compradas e vendidas, com o objetivo de manterem a exposição financeira líquida limitada a 5%. Os recursos remanescentes em caixa devem estar investidos em cotas de fundos Renda Fixa – Duração Baixa – Grau de Investimento ou em ativos permitidos a estes desde que preservadas as regras que determinam a composição da carteira do Tipo ANBIMA”.

  • Juros e Moedas

Segundo a ANBIMA:

“Fundos que buscam retorno no longo prazo via investimentos em ativos de renda fixa, admitindo-se estratégias que impliquem risco de juros, risco de índice de preço e risco de moeda estrangeira. Excluem-se estratégias que impliquem exposição de renda variável
(ações etc)”.

  • Livre

Segundo a ANBIMA:

“Fundos sem compromisso de concentração em alguma estratégia específica”.

  • Capital protegido

Segundo a ANBIMA:

“Fundos que buscam retornos em mercados de risco procurando proteger, parcial ou totalmente, o principal investido”.

  • Estratégia Específica

Segundo a ANBIMA:

“Fundos que adotam estratégia de investimento que implique riscos específicos, tais como commodities, futuro de índice”.

  • Investimento Exterior

Segundo a ANBIMA:

“Fundos que investem em ativos financeiros no exterior em parcela superior a 40% do patrimônio líquido. Estes fundos seguem o disposto no art. 101 da Instrução nº  555 da CVM”.

O que é Alavancagem?

Com o objetivo de maximizar a rentabilidade da carteira de ativos, muitos fundos multimercados fazem operações com alavancagem. Nessas operações são utilizados valores maiores que o patrimônio total do fundo – ou seja, o fundo utiliza mais dinheiro do que realmente possui – com o objetivo de ter ganhos proporcionalmente maiores. No entanto, o risco de perda também é superior.

Quais taxas são cobradas?

São duas as taxas cobradas em um fundo multimercado:

  • Taxa de performance: É uma taxa que é cobrada apenas se a rentabilidade do fundo ultrapassar o indicador de referência, que pode ser o CDI, Índice Bovespa, entre outros. Nem todos os fundos possuem esta taxa.
  • Taxa de administração: As estratégias dos fundos de investimentos são adotadas por um profissional capacitado e com toda experiência necessária para fazer a gestão dos recursos alocados. Todo este trabalho leva tempo e, consequentemente, tem um custo, que é repassado para os cotistas através da taxa de administração do fundo.

Tem impostos?

Sim, há incidência de impostos. O imposto de renda varia de acordo com a classificação do fundo. Os fundos de curto prazo, cuja carteira de títulos tem prazo médio igual ou inferior a 365 dias, têm as seguintes alíquotas:

  • Até 180 dias de investimento, 22,5%;
  • Acima de 180 dias, 20%.

Já os fundos de longo prazo, que têm uma carteira de títulos com prazo médio acima de 365 dias, têm as seguintes alíquotas:

  • Até 180 dias de investimento, 22,5%;
  • De 181 a 360 dias, 20%;
  • De 361 a 720 dias, 17,5%;
  • Acima de 720 dias, 15%.

O recolhimento do imposto de renda é realizado duas vezes por ano pela Receita Federal através do come-cotas, levando em conta a menor alíquota de cada fundo. O come-cotas é descontado diretamente das cotas do investidor, por isso o nome de come cotas. Caso o investidor efetue o resgate antes do prazo de permanência que possui alíquota mínima, também será cobrada a diferença entre a alíquota cobrada no semestre e a alíquota devida de acordo com o prazo do resgate.

Espero que esse artigo tenha ajudado a entender o que são os fundos multimercados. Ficou com alguma dúvida? Quer sugerir algum tema para a gente falar aqui no blog? Comente aqui embaixo que iremos responder o mais rápido possível! Abração =)

Artigos que podem ser úteis para você: A importância da diversificação dos investimentos | Tributação dos fundos de investimentos

 

Compartilhe este conteúdo

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter

Sobre Nós

A maior plataforma de investimentos do país. Encontre os melhores investimentos de acordo com seus objetivos gratuitamente.

Post Relacionados

aportes mensais

Aprenda a fazer este planejamento  Vocês já devem ter percebido que muitas

análise fundamentalista

Introdução à Analise Fundamentalista Você já ficou em dúvida sobre qual ação

filho

Confira as dicas Fazer investimentos é uma das melhores formas de conseguir

Seguir

Mais Assisitidos

Fechar Menu
Abrir Chat
Olá, tudo bem? Me chamo Rafael e sou economista, como posso te ajudar?
Powered by