Os 7 pecados financeiros

Saiba como identificar o seu !

Não tem jeito, os 7 pecados estão sempre presentes na vida de todas as pessoas. E, quando se trata de dinheiro, não é diferente: os 7 pecados financeiros também acabam sendo cometidos por todos em algum momento de suas vidas.

Entretanto, é possível evitá-los e amenizar os impactos dessas pequenas transgressões nas suas finanças.

Quando se trata de dinheiro, o problema começa quando esses 7 pecados passa a  deixar a sua relação com o seu dinheiro complicada e conflituosa, mas com a ajuda de algumas dicas, você pode aprender a escapar dos deslizes e evitar problemas financeiros mais graves.

Para ajudar você a escapar dos 7 pecados financeiros, separamos nesse artigo quais são eles e o que fazer para contorná-los. Confira.

1 – Gula

O primeiro dos pecados financeiros sobre o qual falaremos é a gula, que acontece quando alguém gasta seu dinheiro em compras que são maiores do que a sua conta bancária.

O pecado capital da gula pode ser comparado às compras em excesso. Uma pessoa que possui gula por consumo, é, bem provavelmente, mais suscetível a acabar no vermelho e ficando endividada por não conseguir se controlar e acabar comprando tudo que sente vontade indiscriminadamente.

Desta forma, para evitar cometer o pecado da gula nas suas finanças, o ideal é, antes de comprar qualquer coisa, você se pergunte se realmente é necessário adquirir aquele item naquele momento. Ou se você só quer comprar por impulso

Se você quer, por exemplo, comprar um carro zero quilômetros, mas não tem o dinheiro disponível para pagá-lo, vai ter de apostar em um financiamento e acabar pagando juros que são extremamente altos.

Esse é o custo da gula: um carro que vale cerca de 35 mil reais, em um parcelamento de 60 meses com uma taxa de juros de 1,5% a cada mês, no final das contas acaba saindo por 46.208 reais no final do financiamento. Desse valor, 11.208 serão gastos apenas com os juros!

A gula também pode se manifestar na hora de fazer aplicações financeiras. O investidor acometido pelo pecado da gula pensa primeiro nos ganhos rápidos e pode acabar mudando de investimento sem pensar que pode estar perdendo dinheiro.

O investidor guloso acredita que não está correndo riscos e pessoas assim possuem um perfil propenso a serem vítimas de fraudes e golpes financeiros.

2 – Avareza

O segundo dos pecados financeiros é a avareza, que corresponde ao apego em excesso ao dinheiro, o que pode significar perigo, em especial no que se refere aos investimentos.

Alem disso, o número de pessoas com esse perfil  é mais alto do que se pensa, a cada 100 pessoas, cerca de 20 diz preferir guardar o seu dinheiro em aplicações financeiras seguras. Desta forma, não fazem nenhuma compra de acordo com o levantamento realizado pelo consultor financeiro paranaense Raphael Cordeiro.

Pessoas avarentas costumam adiar as compras e não se permitem gastar nenhum dinheiro além do planejado. Quando optam por investir, escolhem a poupança acreditando que estão guardando dinheiro quando na realidade, estão perdendo a oportunidade de aumentar seus rendimentos com aplicações financeiras mais rentáveis.

Para evitar cometer esse, que é um dos grandes pecados financeiros, a solução é, na hora de investir, diversificar as aplicações reservando uma parte do dinheiro para investimentos em renda fixa e uma outra parte, menor, para investimentos em renda variável.

3 – Luxúria

O próximo dos pecados financeiros é a luxúria, que consiste na ostentação de produtos caros e sofisticados. Quem comete o pecado da luxúria costuma consumir para ter status. Entretanto, para viver assim pode ser bem frustrante, já que é um caminho que nunca chega ao fim.

Esse é um dos pecados financeiros mais presentes no mundo financeiro. Tanto que o economista americano Thorstein Veblen realizou diversos estudos até o ano em que morreu, 1929, concluindo que o objetivo do consumo é a ostentação.

Segundo o economista, acumular dinheiro e bens tem mais a ver com a procura por um lugar de honra na sociedade do que com uma necessidade.

É normal,  mostrar o seu carro novo para um amigo ou se vestir com uma roupa da moda, entretanto, o grande problema é quando o prazer de fazer compras se torna a única razão de existir de uma pessoa.

Para fugir do pecado da luxúria, o ideal é evitar gastar mais dinheiro do que aquilo que você ganha.

De forma geral, pessoas com esse perfil, quando decidem investir dinheiro, costumam ser investidores mais agressivos. Isso porque sua meta é conseguir uma alta rentabilidade para conseguir pagar pelos seus caprichos.

4 – Ira

Alguém sobre a influência do 4º entre os pecados financeiros age impulsivamente na hora de tomar decisões acerca das suas finanças baseado em alguma experiência negativa que teve com o dinheiro.

Para exemplificar, em momentos de queda vertiginosa da bolsa de valores, por exemplo, alguém que perdeu muito dinheiro pode acabar decidindo nunca mais investir em ações. É bem provável, então, que essa pessoa esteja agindo sob a influência da ira.

Uma pessoa irada, não costuma ser capaz de avaliar com cuidado os riscos de um investimento e pode agir de forma impulsiva, o que aumenta a possibilidade que ela perca dinheiro.

De forma geral, pessoas que agem dessa forma costumam preferir investimento com rendimentos maiores, adotando um perfil de investidor mais arrojados.

Para aplacar a ira, nesses casos, a melhor alternativa é apostar na diversificação da carteira de investimentos.

Outra situação onde é comum que o 4º dos pecados financeiros se manifeste é em um processo de divórcio. Nesse momento, a pessoa que está com raiva, pode se sentir motivada a tirar todo o dinheiro do ex-companheiro.

5 – Inveja

O próximo dos pecados financeiros que podem atrapalhar as suas finanças é a inveja.

Muita gente se recusa a confessar, entretanto, no fundo, sabe que sente pelo menos um pouco de inveja de alguém.

Esse pecado se manifesta nos momentos em que a pessoa compra algo sem necessidade, com um dinheiro que ela não tem disponível. Somente para causar uma impressão em alguém. Como resultado, é natural que pessoas que se deixam motivar pela inveja acabem gastando mais dinheiro do que poderiam – apenas para tentar exibir os mesmos bens caros – que seus amigos ou parentes possuem. O sentimento pode ser considerado um dos grandes motivadores do consumo.

Quando se trata dos investimentos, a inveja é um dos pecados financeiros mais presentes e que acabam causando efeitos de manada no mercado.

O fenômeno acontece quando há um ganho de lucro na bolsa de valores. E então, várias outras começam a investir também, motivados a obterem os mesmos ganhos. E, quando as ações caem, o efeito é parecido. Este é o famoso efeito manada.

Em resumo, o grande problema é algumas pessoas costumam agir motivadas pelo pecado da inveja. Em outras palavras, muitas vezes podem acabar deixando seus próprios objetivos em segundo plano. Certamente, para se espelhar em outras pessoas de forma obsessiva.

6 – Preguiça

Entre os 7 pecados financeiros também podemos encontrar a preguiça, que é considerada o pior dos pecados capitais.

Quando se trata de dinheiro, os preguiçosos representam o perfil de pessoas que são mais propensas a perder dinheiro e ter problemas financeiros.

Isso acontece porque elas costumam deixar as prestações e as contas que precisam pagar atrasadas por pura preguiça de ir até o banco e quita-las. Assim, acabam tendo de pagar os juros. Nesse caso, uma boa alternativa é usar o débito automático para evitar atrasos e multas.

Se o assunto é investimento, a preguiça é um dos pecados financeiros que podem fazer com que você deixe de maximizar seus ganhos. O preguiçoso costuma deixar seu dinheiro apenas na conta corrente ou o aplica somente na caderneta de poupança. Isso porque tem preguiça de pesquisar sobre outras alternativas de investimento.

7 – Orgulho ou vaidade

Por fim, o último dos pecados financeiros sobre o qual vamos falar é a vaidade ou orgulho. Geralmente, pessoas com esse perfil costumam adorar contar para os amigos sobre suas aplicações financeiras e, além disso, o quanto elas estão rendendo bem. O que elas ignoram é que as suas finanças pessoais são um tema bastante particular.

Outro problema de cometer esses pecados financeiros é que eles podem acabar motivando a pessoa a consumir em excesso no momento presente e não pensar sobre o futuro.

Para evitar problemas a dica é realizar um bom planejamento financeiro e, manter o seu orçamento bem estruturado, para auxiliar no equilibrio dos gastos de uma maneira alternativa.

Agora você já sabe quais são e o que você deve fazer para evitar os pecados financeiros, assim você pode evitar o deslize e diminuir o impacto deles na sua vida financeira, se prevenindo de acabar tendo problemas financeiros mais graves.

Se você gostou dessas dicas, confira outros artigos como esse, com dicas de investimentos para estruturar a sua vida financeira. Fique à vontade para nos enviar comentários e sugestões.

Bons investimentos e até a próxima !

 

Compartilhe este conteúdo

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter

Sobre Nós

A maior plataforma de investimentos do país. Encontre os melhores investimentos de acordo com seus objetivos gratuitamente.

Post Relacionados

Volatilidade nas alturas! Quem investe no mercado de ações, já se deparou

São vários os segmentos que dão possibilidade de iniciar um investimento sem

Economia compartilhada

Você está pronto para a mudança?  Segunda Guerra Mundial. Chernobyl. São fatos

Seguir

Mais Assisitidos

Fechar Menu
Abrir Chat
Olá, tudo bem? Me chamo Rafael e sou economista, como posso te ajudar?
Powered by