Cédula de Crédito Bancário: Vale a pena investir?

Aprenda a diversificar sem o FGC.

Engana-se quem pensa que investir sem FGC é algo tão arriscado quanto nas ações. Existem bons investimentos, dentro da renda fixa, que contam com outros tipos de garantias

Atualmente o FGC (Fundo Garantidor de Créditos) protege o investidor até R$250.000,00 por CPF e conglomerado financeiro. Isso porque todos os bancos depositam mensalmente uma quantia neste fundo privado.

Assim, caso uma das instituições financeiras entre no processo de falência, o FGC serve como um colchão para não prejudicar o capital do investidor.

Há três anos atrás, em tempos de Selic a dois dígitos, fazia sentido estar posicionado em vários ativos com o FGC. Isso porque, devido aos recentes cortes, alcançando o novo patamar histórico de 2,00% ao ano é necessário garimpar os investimentos.

 O que é o CCB?

Um dos ativos que precisa estar no radar neste cenário é o CCB (Cédula de Crédito Bancário)

Na prática, existe um documento confirmando que o investidor será remunerado na data acordada junto aos juros. Desta forma, uma garantia possível, nesta aplicação, são os imóveis do banco.

O título precisa ter especificado de forma clara os seguintes tópicos: O valor mínimo para aporte, vencimento do investimento, taxa de rendimento bem como qual será o indexador utilizado.

Características deste título 

Além das formas de liquidação, e principalmente, as garantias que o investidor possuirá ao aplicar seu capital.

Uma característica marcante do CCB é que ele é um título que pode ser executado de maneira extrajudicial, com uma dinâmica judicial simplificada, acarretando em agilidade na execução das garantias. Vide artigo 26 da.Lei 10.931/2004

CCB é confiável?

Na mesma linha, estes podem ser executados extrajudicialmente. Fazendo com que se torne uma garantia tão efetiva quanto o FGC.

Em segundo lugar, existe a garantia fiduciária. Em outras palavras, é necessário confiar que as operações do banco irão acontecer conforme o esperado.

Muitos bancos fazem captação com os investidores para financiar as operações de expansão, por exemplo. Além disso, também podem emprestar para outras pessoas, e estas por sua vez pagam aos bancos os juros exorbitantes que é tão comum no neste setor no Brasil.

Em outras palavras, este spread serve para remunerar o investidor que emprestou os valores e ainda dar lucro ao banco. 

Avaliando um CCB

Por isso, neste tipo de aplicação, vale a pena verificar a saúde financeira da instituição emissora do título.

rating, também serve para avaliar de forma mais prática. Quanto mais próximo de “AAA” melhor, e quanto mais próximo de D-, pior será o emissor. Vale ressaltar que nem todas as instituições passam por este processo de rating por ser extremamente caro. 

O ideal é entrar no site do emissor e verificar os balanços disponíveis.

Desta forma, neste cenário, faz-se necessário a diversificação em investimentos que possuem garantias distintas ao FGC a fim de aumentar a rentabilidade.

Bons investimentos e até a próxima!!

Compartilhe este conteúdo

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter

Sobre Nós

A maior plataforma de investimentos do país. Encontre os melhores investimentos de acordo com seus objetivos gratuitamente.

Post Relacionados

Volatilidade nas alturas! Quem investe no mercado de ações, já se deparou

Antes de tudo, você sabe como funcionam os derivativos? Eles são contratos

ativos reais judiciais

Aprenda antes que seja tarde! A teoria moderna da construção de carteiras

Seguir

Mais Assisitidos

Fechar Menu
Abrir Chat
Olá, tudo bem? Me chamo Rafael e sou economista, como posso te ajudar?
Powered by